A avaliação no ensino de Biologia sob a perspectiva da dodiscência

Anderson da Silva Coutinho, Izabelle Maria Nascimento de Rezende, Monica Lopes Folena Araújo

Resumo


O estudo teve como objetivo analisar concepções e práticas que norteiam a avaliação desenvolvida na disciplina de Biologia em uma escola com indicadores nacionais insatisfatórios de qualidade. Os interlocutores foram os estudantes do ensino médio e a professora da disciplina. A pesquisa se caracteriza por apresentar perspectiva qualitativa e quantitativa. Utilizou-se observações, questionários e entrevista como instrumentos de coleta de dados. Os resultados revelam que as concepções de avaliação dos sujeitos de pesquisa estão limitadas à classificação do estudante e ao uso da prova teórica. Observou-se que não há planejamento sistematizado que detenha um projeto societário emancipador. Percebeu-se que não há avaliação em seu sentido pleno, pois ocorre a coleta de dados e através da atribuição de notas se classifica os estudantes. A prova exerce um papel opressor na prática da docente, despertando sentimentos negativos nos estudantes. Concluímos que o resultado insatisfatório da escola no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), no que se refere à Biologia, pode estar diretamente relacionado com a perspectiva de ensino-aprendizagem pautada na pedagogia tradicional. Diante dos resultados encontrados, é importante destacar que esta realidade pode estar presente em outras áreas do conhecimento e em muitas outras escolas do Brasil. Assim, é importante que diagnósticos sob a perspectiva da dodiscência, possam subsidiar intervenções precisas em busca de melhoria não só da avaliação, mas de toda prática educativa.

Palavras-chave


educação; prática docente; ensino de biologia; avaliação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais