O cotidiano escolar e as pesquisas em Educação

Marília Claret Geraes Duran

Resumo


Este artigo foi construído na perspectiva das contribuições de pesquisas do/no cotidiano escolar para a Educação. Na verdade, o estudo das realidades que formam o cotidiano vem ocorrendo por óticas diferentes, o que mostra a importância de se analisarem algumas versões de como considerar o cotidiano. Nessa direção, retomo alguns dos modos de pensar o cotidiano e as práticas cotidianas, na pesquisa em Educação, as referências que foram sendo construídas, a partir das perspectivas de Agnes Heller (1975) e de Henri Lefebvre (1968, 1983), com os trabalhos de Maria Helena Souza Patto (1993) e Sonia Penin (1989). Introduzo as importantes contribuições de Michel de Certeau (1994, 1995), autor cuja originalidade se evidencia na forma como ele inverteu os modos de interpretar as práticas culturais contemporâneas, recuperando as astúcias anônimas das artes de fazer – a arte de viver a sociedade de consumo. Nesse contexto, o artigo traz uma discussão das contribuições das pesquisas do/no cotidiano escolar para pensar a Educação, para pensar a escola, para pensar a escola pública.

 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais