SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL EM SANTOS/SP: MOBILIDADE URBANA SOB UMA PERSPECTIVA COMPARADA

José Marques Carriço, Matheus Duarte Pardal

Resumo


A segregação socioespacial é um dos principais fenômenos que estruturam
as cidades brasileiras. Desta forma, a pesquisa procura analisar as
consequências da segregação socioespacial nas condições de mobilidade
urbana da cidade de Santos-SP a partir do diagnóstico comparativo entre
duas regiões segregadas, uma com predominância de população de baixa
renda, a Vila Progresso, e outra de média e alta renda, a Ponta da Praia.
Esses bairros foram submetidos a um levantamento de oferta de transporte
público e de caminhabilidade. Os resultados identificaram como a
Vila Progresso apresentou falta de integração no transporte público além
de condições precárias de caminhabilidade em comparação ao bairro da
Ponta da Praia. Foi possível compreender como a renda familiar e as feições
geográficas condicionam a morfologia do espaço do assentamento.
Por fim, foi realizado um diagnóstico do setor urbano da Vila Progresso e
elaborado um plano de intervenção no âmbito do planejamento urbano,
visando a melhoria das condições de mobilidade urbana local a partir dos
paradigmas do Novo Urbanismo.


Palavras-chave


Segregação socioespacial. Mobilidade urbana. Caminhabilidade. Direito à cidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.