A CONSTRUÇÃO DO SENTIDO DO CURRICULO NA ESCOLA: REFLEXÕES A PARTIR DA PESQUISA-AÇÃO

Rosana Aparecida Ferreira Pontes, Maria Amélia do Rosário Santoro Franco

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar a utilização da pesquisa-ação como instrumento de formação docente em um processo de construção de sentido do currículo em âmbito escolar. Discute a necessidade de a proposta curricular ser validada pelo grupo de professores, a fim de ganhar significado, vida e existência na escola. Apresenta os resultados de uma pesquisa-ação realizada em uma escola pública de educação infantil, que proporcionou as mudanças curriculares almejadas, desenvolvimento profissional em serviço, bem como analisa como a investigação-ação realizada pelas docentes tornou-se o meio pelo qual o currículo se concretizou. Relata como o coletivo pesquisador foi instituído, criando um espaço de reflexão coletiva que propiciou a aprendizagem da pesquisa sobre a própria prática, em um processo partilhado de saberes e experiências. Apresenta os objetivos traçados pelo grupo de pesquisa, e a problemática do estudo: como incorporar o brincar no centro do currículo da escola. Analisa as ações do coletivo pesquisador, destacando as estratégias para formação docente utilizadas: o portfólio reflexivo coletivo; o uso de questões-problema para orientar a coleta de dados; o uso de mídia interativa como espaço “on line” de expressão do grupo; o planejamento e a realização das ações em movimento espiral de ação-reflexão-ação. Aponta os principais resultados alcançados, conforme avaliação do coletivo pesquisador, quais sejam: a) educadoras identificando problemas em suas ações e propondo soluções; b) desenvolvimento da capacidade crítica para observar a própria prática; c) melhora da integração do grupo para a elaboração dos planejamentos; d) melhora do embasamento teórico sobre o brincar; e) mudança das práticas docentes com relação à utilização de jogos e brincadeiras. Os dados coletados indicam que a pesquisa-ação – fundamentada por autores que discutem a convergência entre pesquisa-ação, currículo e formação docente, sob uma perspectiva crítico-emancipatória, como Carr, Kemmis, Zeichner,Stenhouse e Freire – caminhou na direção dos objetivos pretendidos, implicando os sujeitos da práxis – pesquisadora e professoras – em um processo formativo de cunho autoral no qual as professoras assumiram o papel de investigadoras participantes nas aulas e na escola, tornando-se responsáveis pela (re)significação do currículo na escola. O trabalho conclui com a reflexão de que a relação entre pesquisa-ação, currículo e formação docente se consolidou à medida que o coletivo pesquisador empenhou--se na construção do espaço de reflexão coletiva na escola, justificando assim a relevância do estudo para a área de pesquisa sobre currículo e formação docente.


Texto completo:

PDF ()

Apontamentos

  • Não há apontamentos.