School Health Program: interdisciplinarity and intersectoriality

Autores

  • Irlanda Do Socorro de Oliveira Miléo Federal University of Pará (UFPA), Altamira – PA – Brazil
  • Marconde Ávila Bandeira Federal University of Pará (UFPA), Altamira – PA – Brazil
  • Ney Cristina Monteiro de Oliveira Universidade Federal do Pará (UFPA) - Belém/PA - Brasil

Palavras-chave:

School Health Program. Interdisciplinarity. Intersectoriality

Resumo

This article presents the basic concepts on interdisciplinarity and intersectoriality, demonstrating their common and dialectical definitions. It is based on the review of the literature based on author Alves-Mazzoti (2000), through the texts consulted in the database of CAPES, IBICT, SIBI/UFPA, SciELO, Google, and books. The text is organized into seven items, which are: 1.Introduction; 2.Interdisciplinarity; 3.Intersectoriality; 4.Dialectical actions between interdisciplinarity and intersectoriality; 5.A few experiences; 6.A few considerations; 7.References. Interdisciplinarity and intersectoriality require their implementation to be jointly made, which mobilizes a new model in social public policies. The challenges to bring together the education and health sectors are complex with regard to the perspective of complementarity in the promotion of public policies for the Brazilian population, with constant demands to be resolved and supplemented by using a joint management of these sectoral social policies, which must aim at universal, equitable and quality care.

Keywords: School Health Program. Interdisciplinarity. Intersectoriality.

Biografia do Autor

Irlanda Do Socorro de Oliveira Miléo, Federal University of Pará (UFPA), Altamira – PA – Brazil

Deputy Professor. Doctorate in Education (PUC/SP). ORCID: http://orcid.org/0000-0002-7075-6503. E-mail: irlanda@ufpa.br

Marconde Ávila Bandeira, Federal University of Pará (UFPA), Altamira – PA – Brazil

Masters student of the Post-graduate Program in Curriculum and Management of the Basic School, Center for Transdisciplinary Studies in Basic Education. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8414-0761. E-mail: bandeira.neto77@gmail.com

Ney Cristina Monteiro de Oliveira, Universidade Federal do Pará (UFPA) - Belém/PA - Brasil

Professora Titular do Núcleo de Estudos Transdisciplinares em Educação Básica, professora do Programa de Pós-graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8091-5213. E-mail: neycmo@ufpa.br

Referências

ALMEIDA, F. A. Práticas intersetoriais do programa saúde na escola: um estudo sobre ações e interações dos atores sociais. 2013. 220 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local) – Centro Universitário UNA, Belo Horizonte, MG, 2013. Disponível em: http://www.mestradoemgsedl.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Fl%C3%A1via-Andrade-Almeida.pdf. Acesso em: 28 maio 2018.

ALVES-MAZZOTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sócias: pesquisas quantitativa e qualitativa. 1. reimp. São Paulo: Pioneira, 2000.

BARBIERI, A. F.; NOMA, A. K. A intersetorialidade nas políticas brasileiras de educação: a articulação setorial no Programa Saúde na Escola Educação Unisinos, v. 21, n. 2, p. 137-145, maio/ago. 2017.

BARRA, S. A. R. Gestão da estratégia saúde da família: o desafio de consolidar a intersetorialidade. Orientadora: Lêda Maria Leal de Oliveira. 2013. 199 f. Dissertação (Mestrado Serviço Social) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2013. Disponível em: <http://www.ufjf.br/ppgservicosocial/files/2013/04/sabrina.pdf.> Acesso em: 28 out. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Decreto n. 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Brasília, 6 dez. 2007. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm. Acesso em: 10 abr. 2019.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação (PNE- 2014/2024). Brasília, DF: Senado, 26 jun. 2014.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 248, p. 27833, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno do gestor do PSE. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 110 p. (Série E. Legislação em Saúde)

CURY, C. R. J.; REIS, M.; ZANARDI, T. A. C. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

DELANDES, S. F.; GOMES, R.; MINAYO, C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

DOURADO, L. F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. esp. 100, p. 921-946, out. 2007.

FERREIRA, I. R. C.; MOYSÉS, S. J.; FRANÇA, B. H. S.; CARVALHO, M. L.; MOYSÉS, S. T. Percepções de gestores locais sobre a intersetorialidade no Programa Saúde na Escola. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 56, jan./mar. 2014.

FERREIRA, S. S. Intersetorialidade e políticas públicas. Salto para o Futuro, Tv escola, Ano XIX, n. 13, p. 17-21, out. 2009.

GÓIS, J. B. A produção da intersetorialidade: comentários a partir de ações públicas para a juventude. Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 128-141, jan./jun. 2013.

INOJOSA, Rose Marie. Intersetorialidade e a configuração de um novo paradigma organizacional. RAP, Rio de Janeiro, v. 32, n. 2, p. 35-48, mar./abr. 1998.

JUNQUEIRA, L. A. P. Intersetorialidade, transetorialidade e redes sócias na saúde. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 34, n. 6, p. 35-45, nov./dez. 2000.

JUNQUEIRA, L. A. P. Novas formas de gestão na saúde: descentralização e intersetorialidade. Saúde e sociedade, v. 6, n. 2, p. 31-46, 1997.

JUNQUEIRA, L. A. P; INOJOSA, R. M.; KOMATSU, S. Descentralização e Intersetorialidade na gestão pública municipal no Brasil: a experiência de Fortaleza In: CONCURSO DE ENSAYOS DEL CLAD, 11., 1997, Caracas. Anais […]. Caracas, 1997.

MEC. Programa Saúde nas Escolas. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/institucional/estrutura-organizacional/194-secretarias-112877938/secad-educacao-continuada-223369541/14578-programa-saude-nas-escolas. Acesso em: 27 maio 2019.

MILÉO, I. S. O. Poder local e a gestão da educação municipal no contexto de Altamira-Pará. Orientadora: Ney Cristina Monteiro de Oliveira. 2007. 265 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciências & Saúde coletiva, v. 17, n. 3, p. 621-626, 2012.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa Saúde na Escola. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/programa-saude-na-escola>. Acesso em: 27 maio 2019.

MONNERAT, G. L. et al. (Org.). A intersetorialidade na agenda das políticas sociais. Campinas, SP: Papel Social, 2014.

MONNERAT, G. L; SOUSA, R. G. Da seguridade social à intersetorialidade: reflexões sobre a integração das políticas sociais no Brasil. In: MONNERAT, G. L et al., (Org.). A intersetorialidade na agenda das políticas sociais. Campinas, SP: Papel Social, 2014. R. Katál, Florianópolis, v. 14, n. 1, p. 41-49, jan./jun. 2011.

NASCIMENTO, S. Reflexões sobre a intersetorialidade entre as políticas publicas. Serv. Soc. Soc, São Paulo, n. 101, p. 95-120, jan./mar. 2010.

NOVAES, I. L.; FIALHO, N. H. Descentralização educacional: características e perspectivas. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, v. 26, n. 3, p. 586-602, set./dez. 2010.

PEREIRA, A. C. M. A prática da intersetorialidade como promoção e prevenção de saúde nas escolas: um relato de experiência em São Luís do Maranhão – Brasil. Revista de Psicologia da Criança e do Adolescente, v. 8, n. 2. 2017.

PEREIRA, P. A. P. A intersetorialidade das políticas sociais na perspectiva dialética. In: MONNERAT, G. L et al., (Org.). A intersetorialidade na agenda das políticas sociais. Campinas, SP: Papel Social, 2014. R. Katál, Florianópolis, v. 14, n. 1, p. 23-39, jan./jun. 2014.

SANTOS, D. A.; DIAS, D. S. Intersetorialidade: o desa?o de uma nova arquitetura de gestão em Betim. Perspectivas em Políticas Públicas, BeloHorizonte, v. V, n. 10, p. 119-129, jul./dez. 2012.

SILVA, C. S. Saúde na escola: intersetorialidade e promoção em saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2019.

SILVA, C. S; BODSTEIN, R. C. A. Referencial teórico sobre práticas intersetoriais em Promoção da Saúde na Escola. Ciências & Saúde Coletiva, v. 21, n. 6, p. 1777-1788, 2016.

TUMELERO, S. M. Intersetorialidade nas políticas públicas. Guaju, Matinhos, v. 4, n. 2, p. 211-230, jun./dez. 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-21