Pode-se falar de amor na escola? La Salle e a pedagogia da infância

Autores

  • Clóvis Trezzi Universidade La Salle

Palavras-chave:

Século XVII. Pedagogia moderna. Antropologia da educação

Resumo

O artigo desenvolve o tema do amor enquanto paradoxo antropológico presente na pedagogia de João Batista de La Salle (1651-1719). A metodologia é uma abordagem hermenêutica de escritos de La Salle, partindo da ideia de que seu pensamento pedagógico foi movido pelo mandamento cristão do amor. Investiga a origem desse pensamento, que se baseia no evangelho e na nova compreensão de infância que surgiu a partir do século XVI. Mostra que a educação que tem o amor como fundamento antropológico continua atual, e esta pedagogia humana, que dá às crianças a dignidade de pessoa, é a base da pedagogia moderna. Conclui que, enquanto elemento pedagógico, o amor na pedagogia de La Salle aparece como uma questão paradoxal, pois não exige retorno e tem como principal objetivo a formação do sujeito para a autonomia.

Biografia do Autor

Clóvis Trezzi, Universidade La Salle

Doutor em Educação (2018) pela Universidade La Salle de Canoas (RS) e Mestre em Educação (2010) pela Universidade Cidade de São Paulo (SP); especialista em Ensino Religioso e Pastoral da Educação (2006) pela PUC/PR; Graduado em Pedagogia (2006) pela UNIMEO/CTESOP (Assis Chateaubriand - PR) e em Filosofia (2002) pela Universidade Católica de Brasília (DF). Atua na Educação Básica desde 1994 como professor de Ensino Religioso e Filosofia e também na gestão de escolas na Rede La Salle. É professor no curso de Pedagogia da Universidade La Salle e Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade La Salle de Canoas (RS).

Referências

ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed., Rio de Janeiro: LTC, 2015.

DURKHEIM, E. Educação e sociologia. 4. ed., Petrópolis: Vozes, 2013

FIÉVET, M. Les enfants pauvres à l'école: La révolution scolaire de Jean-Baptiste de La Salle. Paris: Imago, 2001.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 42. ed., Petrópolis: Vozes, 2016

HANSEN, J. A. Educando príncipes no espelho. In: FREITAS, M. C.; KULMANN Jr., M. (Orgs.). Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez Editora, 2002, pp. 61-97.

HEYWOOD, C. Uma história da infância: da Idade Média à época contemporânea no ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

KANT, I. Crítica da razão prática. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

KULMANN Jr., M. (Orgs.). Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez Editora, 2012, pp. 99-127.

LA SALLE, J. B. Guia das Escolas Cristãs. Canoas: Unilasalle, 2012a.

LA SALLE, J. B. Meditações sobre as Principais Festas do Ano. Canoas: Unilasalle, 2012b.

LA SALLE, J. B. Meditações para os tempos de retiro. Canoas: Unilasalle, 2012c.

LA SALLE, J. B. Regras Comuns dos Irmãos das Escolas Cristãs. Canoas: Unilasalle, 2012d.

LA SALLE, J. B. Regras do decoro e da urbanidade cristãos. Canoas: Unilasalle, 2012e.

MANACORDA, M. A. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. 13. ed., São Paulo: Cortez, 2010.

MORALES, A. A. Pedagogía Lasallista: Asociados para una nueva propuesta educativa libertadora. Lima: Distrito Lasallista de Perú 2001.

PAULY, Evaldo; CASAGRANDE, Cledes; CORBELLINI, Marcos. Entre omissão, desconhecimento e reconhecimento: João Batista de La Salle na pesquisa em educação no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 23, e230079, 2018. Disponível em:<https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v23/1809-449X-rbedu-23-e230079.pdf. >Acesso em: 24 dez 2020.

RICOEUR, P. Amor e justiça. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

SMOLKA, A. L. B. Estatuto de sujeito, desenvolvimento humano e teorização sobre a criança. In: FREITAS, M. C.;

Downloads

Publicado

2022-01-03