Lei 13.415, BNCC do Ensino Médio e o Instituto Federal Sul-Rio-Grandense: desafios na implementação

Autores

  • Paula Almeida Universidade Federal de Pelotas
  • Silvana Letícia Pires Iahnke Instituto Federal Sul-rio-grandense

Palavras-chave:

BNCC do ensino médio., LDB, Proposta Pedagógica, IFSul

Resumo

Considerando as alterações na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (L9394/96), geradas pela lei 13.415/2017 e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, este artigo tece reflexões a respeito destas mudanças frente à proposta pedagógica do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e suas consequentes modificações curriculares. Para tanto, adotou-se um estudo qualitativo, aliado a uma análise documental, utilizando como suporte a abordagem do ciclo de políticas de Stephen Ball e colaboradores. O intuito foi examinar os possíveis desafios que essas alterações oferecem na proposta curricular presente no Projeto Pedagógico Institucional do IFSul, traçando assim um paralelo entre o novo ensino médio apresentado na BNCC e as diretrizes que compõem a construção curricular dessa instituição. Concluiu-se que ambos documentos almejam projetos distintos de sociedade, considerando que a BNCC apresenta uma proposta pedagógica que não converge com o PPI do IFSul. 

Biografia do Autor

Paula Almeida, Universidade Federal de Pelotas

Licenciada em História (FURG), mestra em Antropologia (UFPel) e especialista em Educação (IFSul). 

Silvana Letícia Pires Iahnke, Instituto Federal Sul-rio-grandense

Professora do CINAT-Matemática/CPGEDU –IFSUL – Campus Pelotas. Doutora em Educação em Ciências: Química da Vida eSaúde; Mestre em Modelagem Computacional; Especialista em Educação: Ênfase no Ensino de Ciências e Matemática; Licenciada em Matemática.

Referências

BALL, Stephen J. (Org.), MAINARDES, Jefferson (Org.). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9394, de 1996. Brasília: Senado, 1996.

BRASIL. Constituição Federal. Brasília: Senado Federal, 1988.

_______. Base Nacional Comum Curricular: ensino médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2019.

________. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ministério da Educação (MEC). Brasília, DF, 2017.

________. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2014.

________. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a rede federal de educação profissional e tecnológica, e cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Congresso Nacional. Brasília, DF, 2008.

________. Resolução CEB/CNE n° 6 de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Brasília, DF, 2012.

________. Lei nº. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Dispõe sobre a reforma do ensino médio brasileiro, Brasília DF, 2017.

________. Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino médio: documento base. Ministério da Educação/Secretária de Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, DF, 2007.

BRANCO, Emerson Pereira; BRANCO, Alessandra Batista de Godoi; ZANATTA, Shalimar Calegari; NAGASHIMA, Lucila Akiko. A Implantação da Base Nacional Comum Curricular no Contexto das Políticas Neoliberais. Curitiba: Appris, 2018.

CAETANO, Maria Raquel. Os Sujeitos e a Proposta Educacional da Base Nacional Comum Curricular: entre o público e o privado. Teoria e Prática da Educação. V.22, n.3, p.118-136, set./dez. 2019.

CASSIO, Fernando; CATELLI JR., Roberto (Orgs.). Educação é a Base? 23 Educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019.

CECHINEL, Andre, FONTANA, Silvia Aparecida Pereira, GIUSTINA, Antonio Serafim, PRADO, Silvia Salvador do. Estudo/Análise Documental: uma revisão teórica e metodológica. Revista Criar Educação, Criciúma, V. 5, nº1, jan./jun. 2016.

COSTA, Maria Adélia, COUTINHO, Eduardo Henrique Lacerda. Educação Profissional e a Reforma do Ensino Médio: lei 13.415/2017. Educação e Realidade. V. 43, n.4, p.1633-1652, out./dez. 2018.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

DAROS JR. Armando. A Presença da OCDE no Brasil no Contexto da Avaliação Educacional. Jornal de Políticas Educacionais. n.13, p.13-20, jan./jun 2013.

DORE, Rosemary. Afinal, O que significa o Trabalho como Princípio Educativo em Gramsci? Cad. Cedes, Campinas, V.34, n.94, p.297-316, set./dez. 2014. Disponível em:< https://www.cedes.unicamp.br/>

FÁVERO, Altair Alberto, CENTENARO, Junior Bufon. A Pesquisa Documental nas Investigações de Políticas Educacionais: Potencialidades e Limites. Revista Contrapontos. Itajaí, V. 19, n 1, p.170-184, jan./dez. 2019. Disponível em: www.univali.br/periodicos

FERREIRA JR, Amarilio; BITTAR, Marisa. Educação e Ideologia Tecnocrática na Ditadura Militar. Cad. Cedes, Campinas, V.28, n. 76, p. 333-335, set./dez. 2008. Disponível em: <https://www.cedes.unicamp.br/ >

FERRETI, Celso João. A Pedagogia das Competências: autonomia ou adaptação? Educ. Soc., Campinas, V. 23, n. 81, p.299-306, dez. 2002. Disponível em: <https://www.cedes.unicamp.br/>

FERRETI, Celso João. A Reforma do Ensino Médio: desafios à educação profissional. Revista HOLOS. V. 04. n.34, mai.2018. Disponível em:<http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/6975>

FONSECA, Celso Suckow. História do Ensino Industrial no Brasil. Rio de janeiro: Escola Técnica, 1961.

FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: relação com o ensino integrado e o projeto societário de desenvolvimento. Rio de Janeiro: UERJ, 2018.

GARCIA, Sandra Regina de oliveira. O fio da história: a gênese da formação profissional no Brasil. In: Trabalho e Crítica. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2000.

GIROTTO, Eduardo Donizeti. Entre o abstracionismo pedagógico e os territórios de luta: a base nacional comum curricular e a defesa da escola pública. Horizontes. V. 36, n.1, p.16-30, jan./abr. 2018.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa Qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, V.35, nº3, p. 20-29, Mai./jun.1995.

HEEREN, Marcelo Veloso. SILVA, Marta Leandro da. O princípio de autonomia dos institutos federais e sua política educacional em oposição à reforma do ensino médio. Jornal de Políticas Educacionais. V. 13, n.10. Março de 2019.

KUENZER, Acacia Zeneida. Sistema educacional e a formação de trabalhadores: a desqualificação do Ensino Médio Flexível. Ciência & Saúde Coletiva, V. 25, p. 57-66, 2020.

LOPES, Leandro de Proença, Zaremba, Felipe de Assis. O discurso de crise da educação: crítica ao modelo de competências desde a epistemologia da educação. Rev. hist.edu.latino.am. V. 15, n.21, p.283-304, jul./dez. 2013.

MAINARDES, J. A abordagem do ciclo de políticas: explorando alguns desafios da sua utilização no campo da Política Educacional. Jornal de Políticas Educacionais. V. 12, n. 16. Agosto de 2018.

MAINARDES, Jeferson. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para análise de políticas educacionais. Educ. Soc., Campinas, V. 27, nº 94, p. 47-69, jan./abr.2006. Disponível em: <https://www.cedes.unicamp.br/ >

MAINARDES, Jeferson, MARCONDES, Maria Inês. Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educ. Soc., Campinas, Vol. 30, nº. 106, p. 303-318, jan./abr. 2009. Disponível em: <https://www.cedes.unicamp.br/ >

MANZINI, E.J. Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semiestruturada. In: MARQUEZINE: M. C.; ALMEIDA, M. A.; OMOTE; S. (Orgs.) Colóquios sobre pesquisa em Educação Especial. Londrina: eduel, 2003. p.11-25.

MENEZES, Luís Carlos de. BNCC de Bolso. Porto Alegre: Editora do Brasil, 2018.

MICHETTI, Miqueli. Entre a Legitimação e a Crítica: As disputas acerca da Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Ciências Sociais, V.35, nº102, p.1-19, 2019.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

NOMA, Amélia Kimiko, KOEPSEL, Eliana Claudia Navarro, CHILANTE, Edinéia Fátima Navarro. Trabalho e Educação em Documentos de Políticas Educacionais. Revista HISTEDBR On-line. Campinas, n. especial, p.65-82, ago.2010.

PAULA, Ana Paula Paes. Tragtenberg e a Resistência da Crítica: pesquisa e ensino na administração hoje. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, V. 41, n.3, p. 77-81, jul. /set.2001.

PACHECO, José. Reconfigurar a Escola: Transformar a Educação. São Paulo: Cortez, 2018.

PIANA, Maria Cristina. A Construção da Pesquisa Documental: avanços e desafios na atuação do serviço social no campo educacional (online). São Paulo: Editora UNESP. Disponível em: <http://books.scielo.org/>

RIO GRANDE DO SUL. Referenciais Curriculares para Projetos Pedagógicos de Cursos Técnicos e de Graduação do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense. Resolução n.º1, 11 de maio de 2016. In: Pró-Reitoria de Ensino.

RIO GRANDE DO SUL. Projeto Pedagógico Institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul Rio-Grandense, Resolução nº 11, 22 de dezembro de 2006. In: Reitoria.

SANTOMÉ, J. Torres. O Currículo Oculto. Porto Editora: Porto, 1993.

SOUZA, Eder Cristiano de. O Professor como intelectual da práxis: desafios aos docentes frente à pedagogia das competências. Revista Temas & Matizes. Cascavel, V. 12, n. 22, p. 24-35, jan./jun.2018.

VIEIRA, Sofia Lerche. A Educação nas Constituições brasileiras: texto e contexto. RBEP, Brasília, V.88, n. 219. p. 291 – 309, maio/ago. 2007.

Downloads

Publicado

2022-01-03