Educação musical e autorregulação da aprendizagem: uma revisão sistemática

Autores

  • Iuri Ozires Sobreira de Oliveira Universidade do Vale do São Francisco - UNIVASF
  • João Carlos Sedraz Silva Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF
  • Gibran Medeiros Chaves de Vasconcelos Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Palavras-chave:

Autorregulação, Ensino, aprendizagem, Educação musical

Resumo

A busca por formas de se ensinar e de se aprender música aponta a cada dia para modelos distantes do modelo conservatorial. Propõem-se novas abordagens como a crença da autoeficácia, motivação e autogerenciamento cognitivo, atitudes relacionadas à autorregulação da aprendizagem. Esta revisão sistemática, realizada no período de julho de 2018 a julho de 2019, analisou trabalhos que pudessem identificar comportamentos e estratégias de autorregulação da aprendizagem na prática de estudo dos alunos de música em diversos contextos e de que maneira estes contribuem para o processo de ensino e aprendizagem. Os resultados encontrados demonstram que aprendizes autorregulados tendem a desenvolver melhor suas atividades de aquisição do conhecimento e aqueles que não têm esse perfil podem desenvolvê-lo a partir da adoção de práticas de ensino propostas pelo professor que estimulem atitudes e estratégias autorregulatórias.

Biografia do Autor

Iuri Ozires Sobreira de Oliveira, Universidade do Vale do São Francisco - UNIVASF

Educador Musical desde 2001, cursou Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco até 2012. Possui graduação em Música pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano (2016) e Especialização em Educação Aplicada à Performance Musical pelo Centro Universitário do Sul de Minas - UNIS. É Mestrando no Programa de Pós graduação em Dinâmicas do Desenvolvimento do Semiárido -PPGDIDES na Universidade do Vale do São Francisco - UNIVASF. Foi professor de música do ensino fundamental II no Colégio N. S. Auxiliadora, professor de Educação Musical do Centro Maria Auxiliadora (CEMAM) e instrutor de música no Colégio Dom Bosco (PE). Como professor de instrumento, ministrou as seguintes atividades: Violão Erudito (Colégio N. S. Auxiliadora e CEMAM) e Violino e Flauta doce (CEMAM). Desenvolveu atividades de Maestro e Arranjador de Banda Musical (Colégio Auxiliadora e CEMAM), Maestro da Banda Marcial (Colégio Dom Bosco) e Regente da Orquestra e Coro Novos Talentos na Cidade de Petrolina-PE. Como Diretor Musical e Arranjador, dirigiu diversos Recitais, Festivais de Artes e concertos nas Instituições de Ensino citadas. Possui uma extensa carreira como Instrumentista e compositor para violão e Bandas de Música. Possui ainda experiência no ensino coletivo de Instrumentos de Sopro. Atualmente é Professor EBTT Lotado da Coordenação da Licenciatura em Música  e  Coordenador de Pesquisa inovação e Pós graduação no IF sertão - Campus Petrolina. Aréa de pesquisa: Educação musical, Ensino coletivo de instrumento musical e autorregulação da aprendizagem.

João Carlos Sedraz Silva, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Possui graduação em Engenharia Mecânica (UFBA), especialização em Educação a Distância (SENAC/AL), mestrado em Ciência da Computação (UFPE) e doutorado em Ciência da Computação (UFPE). Foi professor da Universidade Federal da Bahia e, atualmente, é docente da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), onde desenvolve pesquisas concentradas na concepção e modelagem de ambientes colaborativos de aprendizagem. Na Univasf, também, coordenou a implantação dos cursos de graduação e pós-graduação na modalidade a distância, exerceu funções de Diretor de Planejamento e Ensino, Pró-Reitor de Ensino, Coordenador UAB, Coordenador do Telessaúde e Secretário de Educação a Distância. É membro do grupo de pesquisa de Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional da UFPE e consultor da Diretoria de Educação a Distância da Capes.

Gibran Medeiros Chaves de Vasconcelos, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Possui graduação em Matemática pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2009); Especialização em Direito Administrativo, pela Faculdade Integrada da Grande Fortaleza - FGF (2012); Mestrado Profissional [em andamento] em Dinâmicas de Desenvolvimento do Semiárido pelo Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas de Desenvolvimento do Semiárido (PPGDiDeS) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Atualmente é Técnico em Assuntos Educacionais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão - PE) , Campus Petrolina, atuando no Núcleo de Ações Pedagógicas nos cursos de ensino superior.

Referências

ARAÚJO, Marcos Vinícius. Comportamentos autorreguladores e Experiências de fluxo na prática musical: Um inquérito com performers de nível Avançado. Aveiro, Portugal, 2015.

AZZI, Roberta Gurgel; BASQUEIRA, Ana Paula; DOS SANTOS TOURINHO, Ana Cristina Gama. Ensino na perspectiva da Teoria Social Cognitiva: discussões iniciais a partir do ensino de música. Revista da ABEM, v. 24, n. 36, 2017.

CAVALCANTI, Célia Regina Pires. Um estudo sobre a autorregulação da prática instrumental de músicos instrumentistas. Música em perspectiva v.3 n.2, março 2010. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/musica>

DERMEVAL, Diego; COELHO, Jorge AP de M.; BITTENCOURT, Ig Ibert. Mapeamento sistemático e revisão sistemática da literatura em informática na Educação. JAQUES, Patrícia Augustin; PIMENTEL, Mariano; SIQUEIRA; Sean; BITTENCOURT, Ig.(Org.) Metodologia de Pesquisa em Informática na Educação: Abordagem Quantitativa de Pesquisa. Porto Alegre: SBC, 2019.

GROUT, Donald J.; PALISCA, Claude. História da música ocidental. 2007.

GUSMA?O, Pablo. A da Silva. Aprendizagem autorregulada da percepção musical no ensino superior: uma pesquisa exploratória. Opus, v. 17, n. 2, p. 121-140, 2011.

HIPPLER, Kauanny Klein. Autorregulação da aprendizagem de cantores em formação: um estudo exploratório no 12º festival de música de Santa Catarina. Salvador 2017

KRÜGER, Veridiana de Lima Gomes, ARAÚJO, Rosane Cardoso, KRÜGER, Igor Mendes. Procedimentos metodológicos em El Sistema e a autorregulação acadêmica. XI SIMCAM - Simpósio Internacional de Cognição e Artes Musicais. Universidade Federal de Goiás – Pirenópolis, 2015)

OTUTUMI, Cristiane Hatsue Vital. As Cartas do Gervásio e a autorregulação da aprendizagem como potencializadoras do estudo na Percepção Musical. Opus, [s.l.], v. 23, n. 3, p. 166-192, dez. 2017. ISSN 15177017. Disponível em: <https://www.anppom.com.br/revista/index.php/opus/article/view/opus2017c2308>. Acesso em: 23 jul. 2018

SANTOS, Jâmison Sampaio de Queiroz . Autorregulação e prática deliberada: um estudo com alunos em cursos de bacharelado em violão. Salvador, 2017.

SILVA, Camilla dos Santos et al. Ensino de instrumento-violão-nos cursos de licenciatura em música: uma proposta a partir da autorregulação da aprendizagem. 2016. XXIII Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música – Natal – 2013

SOUZA, Luan Sodré de; SANTOS, Ana Cristina Tourinho Gama. Ensino de violão: estratégias de correção e orientação no processo de formação de violonistas solistas. In: Actas 10ª Conferencia Latinoamericana y 3ª Conferencia Panamericana de la Sociedad Internacional de Educación Musical. 2015. p. 116.

VIEIRA JUNIOR, Luis Antonio Braga; MONTANDON, Maria Isabel; MARINS, Paulo Roberto Affonso. Estratégias de autorregulação da aprendizagem musical: um estudo em uma banda de música escolar. Revista da ABEM, v. 25, n. 38, 2018.

Downloads

Publicado

2022-01-03