A participação da subárea pedagógica nos programas de pós-graduação stricto sensu em Educação Física no Brasil no quadriênio 2013-2016

Autores

  • Diego Luiz Moura Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Antonio Jorge Gonçalves Soares Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Pós-graduação. Subárea pedagógica. Educação Física. Avaliação

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a participação da subárea pedagógica nos programas de pós-graduação stricto sensu no Brasil no quadriênio 2013-2016 na Educação Física. Foi realizado um levantamento na Capes, Plataforma Sucupira, programas de pós-graduação da área da Educação Física e no currículo lattes dos docentes da subárea pedagógica. A maior parte dos docentes estão vinculados a linhas de pesquisa dedicadas ao tema da biodinâmica. Analisamos a produção dos docentes da subárea pedagógica e percebemos que eles possuem a sua maior produção na temática sociocultural. Concluímos que a maior produção em outras áreas pode indicar um processo migratório com base na sobrevivência dos docentes para permanecerem como orientadores nos Programas de Pós-Graduação da área 21.

Biografia do Autor

Diego Luiz Moura, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutor em Educação Física (UGF). Docente da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Antonio Jorge Gonçalves Soares, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ/Aposentado. Realizou estágio de Pós-doutorado Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no Departamento de Fundamentos da Educação (2018-2019) e na Universidade do Porto-FADE-UP (2007-2008). É professor permanente/colaborador do Programa de Pós-graduação em Educação-UFRJ, na linha de Pesquisa de Políticas Públicas e Instituições Educacionais, e professor colaborador do Programa em Educação Física da Universidade Federal do Espírito Santo, na linha Estudos Pedagógicos e Socioculturais da Educação Física. É membro-pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisa de Educação e Sociedade Contemporânea- UFSC, do Núcleo de Estudos sobre a Educação dos Sentidos e das Sensibilidades/NUPES, da FAE/UFMG e do PROTEORIA-UFES. Bolsista de Produtividade em Pesquisa (CNPq), Nível 1D.

Referências

BIANCHETTI, Lucídio & VALLE, Ione Ribeiro. Produtivismo acadêmico e decorrências às condições de vida/trabalho de pesquisadores brasileiros e europeus. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 22, n. 82, p. 89-109, 2014.

DAOLIO, Jocimar. O ser e o tempo da pesquisa sociocultural em Educação Física. Revista brasileira de ciências do esporte, v. 29, n. 1, 2007.

DAOLIO, Jocimar. (2015). A produção acadêmica em educação física: a capes como um “não–lugar”. Pensar a Prática, v. 18, n. 2, 2015.

GOMES, Leonardo do Couto; FURTADO, Heitor Luiz; SOUZA JUNIOR, Marcílio; SILVA, Marcelo Moraes. programas de pós-graduação stricto sensu em Educação Física no brasil: diversidades epistemológicas na subárea pedagógica. Movimento, v. 25, p. 25012, 2019.

JACOBY, Russel. O fim da utopia: política e cultura na era da apatia. Rio de Janeiro: Record, 2001.

LEITE, Janete Luzia. Publicar ou perecer: a esfinge do produtivismo acadêmico. Revista Katálysis, v. 20, n. 2, p. 207-215, 2017.

MOURA, Diego Luz. A pressão para publicar: reflexões necessárias. In: TELLES, Silvio; LUDORF, Silvia; PEREIRA, Erik. Pesquisa em Educação Física: perspectivas sociocultural e pedagógica em foco. Autografia, 2007

OLIVEIRA, Amanda da Silva Dias; PEREIRA, Maristela de Souza; LIMA, Luana Mundim de. Trabalho, produtivismo e adoecimento dos docentes nas universidades públicas brasileiras. Psicologia Escolar e Educacional, v. 21, n. 3, p. 609-619, 2017.

RIGO, Luiz Carlos; RIBEIRO, Gabriela; HALLAL, Pedro. C. Unidade na diversidade: desafios para a Educação Física no século XXI. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 16, n. 4, p. 339-345, 2012.São Paulo: Editora UNESP, 2006.

SILVA, Junior Vagner Pereira; GONÇALVES-SILVA, Luiza Lana; MOREIRA, Wagner Wey. Produtivismo na pós-graduação. Nada é tão ruim, que não possa piorar. É chegada a vez dos orientandos!. Movimento, v. 20, n. 4, 2014.

STIGGER, Marco Paulo; SILVEIRA, Raquel; MYSKIW, Mauro. O processo de avaliação da pós-graduação em Educação Física e ciências do esporte no brasil e algumas das suas repercussões cotidianas. In: RECHIA, Simone et al. (Org.). Dilemas e desafios da Pós Graduação em Educação Física. 1ed.Ijuí: Editora Unijuí, 2015.

TREIN, Eunice; RODRIGUES, José. O mal-estar na academia: produtivismo científico, o fetichismo do conhecimento-mercadoria. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 48, 2011.

WATERS, Lindsay. Inimigos da esperança: publicar, perecer e o eclipse da erudição. São Paulo: Unesp, 2006.

Downloads

Publicado

2022-05-03

Como Citar

Moura, D. L., & Soares, A. J. G. . (2022). A participação da subárea pedagógica nos programas de pós-graduação stricto sensu em Educação Física no Brasil no quadriênio 2013-2016. EVISTA ELETRÔNICA ESQUISEDUCA, 14(34), 424–440. ecuperado de https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/1241