SÍNDROME DE BURNOUT: CONCEITOS E OBSERVAÇÕES PARA OS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS

Lais Luisa de Oliveira Soldera, Leandro Gonçalves Martins

Resumo


A síndrome de Burnout, ou síndrome do esgotamento profissional, é um
distúrbio psíquico descrito em 1974 pelo médico alemão Herbert Freudenberger.
A palavra síndrome refere a um conjunto de sintomas, que podem
ser físicos, psíquicos ou de comportamento. Burnout, na expressão
popular inglesa, se refere ao que deixou de funcionar por absoluta falta
de energia. É caracterizada pela exaustão física e mental do colaborador,
devido à grande e constante exposição ao stress. O acúmulo de responsabilidades,
somados com o nível necessário de comunicação, acabam por
elevar o estresse de uma pessoa. Os sintomas mais comuns da síndrome
são: fadiga constante e progressiva, distúrbio do sono, dores musculares,
cefaléias, irritabilidade, perda do interesse pelo trabalho, dentre outros. O
estudo da síndrome no Brasil, como é possível perceber em alguns artigos
publicados, é voltado para os profissionais da saúde. Um estudo envolvendo
trabalhadores em geral poderá auxiliar, não apenas na prevenção,
como também no conhecimento mais amplo da área, e no auxílio aos
gestores em reconhecer e perceber a síndrome. Este artigo pretende compreender,
de forma ampla, a síndrome de burnout, sem necessariamente
direcioná-la, apenas depreender seu significado e sua existência, de forma
a poder explanar sobre o assunto de forma livre.


Palavras-chave


Burnout; Esgotamento profissional; Gestão empresarial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.