PROCESSO DE URBANIZAÇÃO, CONDICIONANTES URBANÍSTICOS E PADRÕES MORFOLÓGICOS DO TECIDO URBANO DA ZONA NOROESTE DE SANTOS/SP

Autores

  • Júlia dos Santos de Pádua UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS
  • Nájla Victoria Isaías Pires UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS
  • José Carriço UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Resumo

Foi analisado o desenvolvimento urbanístico da Zona Noroeste de Santos, a partir de seu processo histórico de ocupação e como ele influiu na formação do tecido urbano. O processo de industrialização da Baixada Santista após os anos 1940 implicou na expansão urbana na Zona Noroeste. Esse crescimento gerou demanda por políticas habitacionais, ao passo em que altas inflação e taxas de juros produziram significativo déficit habitacional. Nos anos 1950, iniciaram as implantações de loteamentos na Zona Noroeste. Esse desenvolvimento, inicialmente não planejado para enfrentar o déficit habitacional, resultou em monofuncionalidade residencial e baixa densidade. Posteriormente, outros tipos de empreendimentos como condomínios de lotes e verticalização moderada também surgiram, devido à atuação estatal, visando enfrentar o agravamento da questão da moradia. A morfologia desses modelos de ocupação foi estudada sob a perspectiva das normas vigentes que orientaram a implantação dos empreendimentos, em diferentes períodos. Em uma planilha foram catalogadas as informações de cada empreendimento estudado. Houve a análise das normas federal e municipal vigentes no ano de implantação de cada empreendimento, possibilitando observar suas influências na forma de parcelamento e no desenho urbano. Tanto a proibição do uso comercial nas vias locais da Zona Noroeste, quanto a restrição de uso residencial no Centro, que vigoraram por trinta anos, foram determinantes para suprimir a diversidade do uso do solo e marcam a pendularidade casa-trabalho da periferia aos grandes centros comerciais. Assim, foram avaliados os impactos da monofuncionalidade e da ausência de uniformidade no traçado urbano na vida das comunidades residentes na região.

Biografia do Autor

Júlia dos Santos de Pádua, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Arquiteta e urbanista, graduada na FAUS; Iniciação Científica ciclo 2018-2019, sob orientação do Prof.Dr. José Marques Carriço.

Nájla Victoria Isaías Pires, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Arquiteta e urbanista, graduada na FAUS; Iniciação Científica ciclo 2019-2020, sob orientação do Prof.Dr. José Marques Carriço.

José Carriço, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Doutor em Planejamento urbano e Regional. Professor pesquisador do Programa de Stricto Sensu em Direito Ambiental e Internacional e do Curso de Arquitetura e urbanismo da Universidade Católica de Santos. Colíder do grupo de pesquisas Direito Ambiental das Cidades da Universidade Católica de Santos. Arquiteto e urbanista. Consultor na área de planejamento urbano e regional. Arquiteto e urbanista aposentado do quadro permanente da Prefeitura Municipal de Santos.

Publicado

2021-08-27