FRONTEIRAS TRANSITÓRIAS: O PROCESSO DA OCUPAÇÃO DA BAIXADA SANTISTA (6000 A.C. – 1996)

Autores

  • WILMA THEREZINHA FERNANDES DE ANDRADE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Resumo

É breve relato da ocupação humana do Litoral Paulista desde a Pré História
8.000 a.C. até 1.996, quando é criada a Região Metropolitana da
Baixada Santista (RMBS) que compreende Santos, São Vicente, Cubatão,
Guarujá, Bertioga, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe. A
primeira ocupação foi do Homem do Sambaqui que tirava sua alimentação
dos manguezais e jogava as cascas dos alimentos num só lugar e que
formaram montes chamados “sambaquis”, onde também enterravam os
mortos. A segunda ocupação foi dos Tupi - Guarani, mais adiantados que,
por volta do ano 1.000, venceram os homens dos sambaquis que fugiram
para outros litorais, onde ficaram conhecidos como Botocudos. A ocupação
pelos europeus termina com a Pré - História do Litoral, que se torna
histórico pela colonização ibérica.

Biografia do Autor

WILMA THEREZINHA FERNANDES DE ANDRADE, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Wilma Therezinha
Fernandes de Andrade
nasceu em Santos/
SP. É formada em
História e Geografia
pela Faculdade
“Sedes Sapientiae”
da Pontifícia
Universidade de
São Paulo (PUC;
mestre e doutora em
História Social pela
Universidade de São
Paulo (USP). Realizou
pesquisas no Brasil,
Portugal, França,
Itália. É professora
assistente de História
na Universidade
Católica de Santos
(UniSantos). Tem
publicações de
História, didáticas,
paradidáticas e de
ficção. É museóloga e
jornalista.

Publicado

2021-12-06