DILEMAS DAS RELAÇÕES RACIAIS NO BRASIL: DO IDEÁRIO DA DEMOCRACIA RACIAL ÀS POLÍTICAS DE AÇÃO AFIRMATIVA NO ENSINO SUPERIOR

Autores

  • PAULO FERNANDO CAMPBELL FRANCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Resumo

Os objetivos do artigo são resgatar aspectos das relações étnico-raciais na
sociedade brasileira, bem como delinear um contexto histórico e social
específico que nos ajuda a pensar a singularidade do Brasil que criou seu
racismo, com base na negação do preconceito racial. Nessa perspectiva,
indica-se limites e assimetrias sociais dessa criação. Para tanto, recuperou-
-se a ascensão do racismo científico que se fez sentir no Brasil, nas últimas décadas do século XIX, tendo como desdobramentos a estratégia
do branqueamento da raça e sua contrapartida, o ideário da democracia
racial. Valorizou-se de forma particular a importância de se reconhecer
que as políticas públicas de ação afirmativa, em favor do afrodescendente,
podem ser consideradas uma das estratégias de se alcançar a tão desejada
democracia racial. Concluiu-se que, no ano do bicentenário da Independência do Brasil, em que a revisão da Lei de Cotas tem momento decisivo
no Congresso Nacional, faz-se necessário reconhecer que a política de cotas vem permitindo que mais integrantes da população negra e indígena
acessem o ensino superior. Este precisa ser um caminho sem volta.

Biografia do Autor

PAULO FERNANDO CAMPBELL FRANCO, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

Mestre em História Social
pela Universidade de
São Paulo (USP). É
Coordenador do Curso
de História e Professor
de História da África
e Educação e Cultura
Afro-brasileira em
cursos da Universid

Publicado

2022-08-19