Teletrabalho na Educação Infantil

(re)pensando potências e desafios no período de pandemia da Covid-19

Autores

  • Cristiano Andrade Universidade Ibirapuera
  • Miria Benincasa Universidade Metodista de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.58422/repesq.2023.e1416

Palavras-chave:

Teletrabalho na pandemia da covid-19, Mulheres em teletrabalho na educação infantil, Mulheres no mundo do trabalho

Resumo

Este estudo teve por objetivo analisar a inserção de profissionais da educação infantil no teletrabalho, bem como compreender potências e limites experimentados em tempo de pandemia da Covid-19. Teve como método a pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, com recorte transversal. Participaram da pesquisa 30 mulheres vinculadas a secretaria de Educação de um município no sul de Minas Gerais. Como técnica, foi utilizada entrevista semiestruturada, cujos dados foram analisados na perspectiva da Psicologia Social do Trabalho. Como resultados, compreende-se que ao receberem a notícia de que seriam tele-educadoras, inicialmente experimentaram medo. No sentido potente, apresentam a ressignificação do trabalho e as vivências de sororidade junto as colegas. Identificou-se limites, pois não foram treinadas para cumprirem tal papel, tendo de aprender fazendo no cotidiano.

Biografia do Autor

Cristiano Andrade, Universidade Ibirapuera

Doutor (2022) e Mestre (2018) em Psicologia da Saúde pela Universidade Metodista de São Paulo - UMESP. Professor Titular do Programa de Pós-graduação em Psicologia (Psicossomática) da Universidade Ibirapuera (Unib). cristianoandradepsico@gmail.com

Miria Benincasa, Universidade Metodista de São Paulo

Pesquisadora e orientadora dos Programas de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Psicologia da Saúde da Universidade Metodista de São Paulo. Líder do Grupo de Pesquisa (CNPq) “Humanização da assistência à gestação, parto, nascimento e pós-parto”. miria.benincasa@gmail.com

Referências

ANDENA, E. A.; CARVALHO, G. M. Pandemia e teletrabalho: um desafio ao direito à desconexão. In: COSTA, V.; VIANA, M. T.; BASTOS, V. G. (orgs.). A bolsa ou a vida: reflexões sobre trabalho e pandemia. Belo Horizonte: RTM, 2021. (p. 49-62).

ANDRADE, C. J.; SOUZA, F. C.; BENINCASA, M. Conciliação maternidade e trabalho na pandemia da covid-19: o discurso de profissionais de saúde. Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências - RIEC, v. 3, n 3, p. 1682-1702, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1000/riec.v3i3.197. Acesso em: 12 mar. 2022.

ANTUNES, E. D.; FISCHER, F. M. A justiça não pode parar?! Os impactos da covid-19 na trajetória da política de teletrabalho do judiciário federal. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, n. 45, p. 1-12, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2317-6369000025920. Acesso em: 4 jun. 2022.

ARAÚJO, F. J. O. et al. Impact of sars-cov-2 and its reverberation in global higher education and mental health. Psychiatry Research, n. 288, p. 112977, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.psychres.2020.112977. Acesso em: 17 mar. 2022.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 544 de 16 de junho de 2020. (2020, junho 17). Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, ano 114, p. 62, 17 junho 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-544-de-16-de-junho-de-2020-261924872. Acesso em: 22 abr. 2022.

BRAZ, M. V.; VIANA, M. T. Covid-19 x flexibilização dos direitos trabalhistas: uma visão sobre as perspectivas para o direito do trabalho. In: COSTA, V.; VIANA, M. T.; BASTOS, G. (orgs.). A bolsa ou a vida: reflexões sobre trabalho e pandemia. Belo Horizonte: RTM, 2021. (p. 13-22).

BITTENCOURT, R. N. Pandemia, isolamento social e colapso global. Revista Espaço Acadêmico, v. 19, n. 221, p. 168-178, 2020. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/Espaco Academico /article/view/52827. Acesso em: 17 mar. 2022.

DEJOURS, C. Trabalho vivo: trabalho e emancipação. Brasília, DF: Paralelo 15, 2012.

FEIST, J.; FEIST, G. J.; ROBERTS, T. Teorias da personalidade. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2015.

GARCIA, D. A.; SOUSA, L. M. A. A sororidade no ciberespaço: aços feministas em militância. Estudos Linguísticos, v. 44, n. 3, p. 991-1008, 2015. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/1032. Acesso em: 22 abr. 2022.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

LOSEKANN, R. G. C. B.; MOURÃO, H. C. Desafios do teletrabalho na pandemia covid-19: quando o home vira office. Caderno de Administração, n. 28, p. 71-75, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.4025/cadadm.v28i0.53637. Acesso em: 12 mar. 2022.

MACHADO, P. L. P. Educação em tempos de pandemia: o ensinar através de tecnologias e mídias digitais. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, v. 8, n. 6, p. 58-68, 2020. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/tempos-de-pandemia. Acesso em: 22 abr. 2022.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE – OPAS. ONU destaca necessidade urgente de aumentar investimentos em serviços de saúde mental durante a pandemia de covid-19. Brasília, DF: OPAS, 2020. Disponível em: https://www.paho.org/pt/noticias/14-5-2020-onu-destaca-necessidade-urgente-aumentar-investimentos-em-servicos-saude-mental. Acesso em: 7 jun. 2022.

SANTOS, M. C. R. O teletrabalho nos tempos da covid-19 (Coronavírus): ensaio sobre a importância e necessidade de proteção aos trabalhadores. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, v. 86, n. 2, p. 175-194, 2020. Disponível em: https://juslaboris.tst.jus.br/bitstream/handle/ 20.500.12178/175937/2020_rev_tst_v0086_n00 02.pdf?se-quence=1&isAllowed=y. Acesso em: 4 jun. 2022.

SILVA, A. F. et al. Saúde mental de docentes universitários em tempos de pandemia. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. 2, p. 1-4, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312020300216. Acesso em: 7 jun. 2022.

SILVA, I. C. M.; SILVA, M. H.; SANTOS, M. L. Condições de trabalho em casa durante a pandemia: uma análise do discurso do sujeito coletivo dos trabalhadores do setor de agências de turismo. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 15, n. 1, p. 1-18, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.7784/rbtur.v15i1.2200. Acesso em: 22 abr. 2022.

TURATO, E. R. Tratamento da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde humanas. Petrópolis: Vozes, 2003.

Downloads

Publicado

2023-12-18

Como Citar

Andrade, C., & Benincasa, M. (2023). Teletrabalho na Educação Infantil: (re)pensando potências e desafios no período de pandemia da Covid-19. EVISTA ELETRÔNICA ESQUISEDUCA, 15(39), 526–543. https://doi.org/10.58422/repesq.2023.e1416