O revisitar do conceito pedagógico de competência

Autores

Palavras-chave:

Competência, Teoria da ação comunicativa, Prática docente, Profissionalização docente, Professor reflexivo.

Resumo

Com a aprovação, em 2017, da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o consequente processo de institucionalização, territórios de disputas perenes no campo pedagógico como que se aqueceram, chamas se reacenderam ensejadas pelo cabedal de questões e problemas trazidos pela BNCC. O tema é o conceito de pedagógico de competência. O objetivo é analisar criticamente o conceito pedagógico de competência para demonstrar o caráter anfibológico e multifacetado do conceito de competência e suas limitações, tendo em visa uma prática docente dialógica e concreta. A metodologia se constitui numa revisão de literatura. A fundamentação teórica pauta-se em Habermas a deslindar uma concepção discursiva de competência, em sintonia com a prática da crítica imanente de Adorno a partir de Perrenoud, Schön, Gauthier e outros. Os resultados e conclusões apontam para um conceito discursivo de competência capaz de aproximar a prática docente da racionalidade comunicativa, contribuindo para uma prática de formação crítica.

Palavras-chave: Competência. Teoria da ação comunicativa. Prática docente. Base Nacional Comum Curricular. Profissionalização docente. Professor reflexivo.

Biografia do Autor

Otilia Maria Alves da Nóbrega Alberto Dantas, Universidade de Brasília

Docente da Universidade de Brasília/Faculdade de Educação/MTC. Possui graduação em Pedagogia, mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Pós-doutorado em Educação pela Universidade de Brasília sob a supervisão de Ilma Passos de Alencastro Veiga. Desenvolve estudos (pesquisa, ensino e extensão) na área de Educação, pesquisando: formação de professores, Pedagogia; Didática; Ludicidade, construção do conhecimento e Ensino Médio. No âmbito da gestão atuou como Coordenadora do Curso de Pedagogia e Chefe do Departamento de Métodos e Técnicas da FE/UNB. Professora Permanente dos PPGE E PPGE-MP da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Pesquisadora e líder do Grupo de Estudos e Pesquisa Profissão Docentes: formação, saberes e práticas - Geppesp.

William Macêdo Virgínio, IFESP-RN

Graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1989) e mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003). Atualmente é professor assistente 2 da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e no Instituto de Educação Presidente Kennedy - IFESP -. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, atuando principalmente no seguinte tema: formação docente, competência educativa, dentre outros.

Referências

ADORNO, Theodor. Prismas: crítica cultural e sociedade. –São Paulo: Ática, 2019.

ALTET, Marguerite. As competências do professor profissional: Entre conhecimentos, esquemas de ação e adaptação, saber analisar. In: PERRENOUD, Philippe; PAQUAY, Leopold; ALTET, Marguerite; CHARLIER, Évelyne (orgs.). Formando professores profissionais: Que estratégia? Que competência. 2. ed. Tradução de Fátima Murad, Eunice Gruman. Porto Alegre, RS: Artmed Editora, 2018.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996.

BRZEZINSKI, Iria. Embates na definição das políticas de formação de professores para a atuação multidisciplinar nos anos iniciais do Ensino Fundamental: Respeito à cidadania ou disputa pelo poder? Educação & Sociedade, n. 68, p. 80-108, dezembro, 1999.

CHARLIER, Évelyne. Formar professores profissionais para uma formação contínua articulada à prática. In: PERRENOUD, Philippe, PAQUAY, Leopold, ALTET, Marguerite, CHARLIER, Évelyne (orgs.). Formando professores profissionais: Que estratégia? Que competência. Porto Alegre, RS: Artmed Editora, 2018.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

GAUTHIER, C. Por uma teoria da pedagogia: Pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 3. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2013.

HABERMAS, Jurgen. Para a Reconstrução do Materialismo Histórico. Tradução Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: editora brasiliense, 2014.

_______. Teoria de la Acción Comunicativa, vol. I. Trad. Manuel Jiménez Redondo. Madrid: Taurus, 1999.

_______. Pensamento pós-metafísico: Estudos Filosóficos. Tradução Flavio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2019.

_______. O Discurso filosófico da modernidade. Tradução Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Martins Fontes, 2000;

______. Teoría de la acción comunicativa, I. Versión castellana de Manuel Jimenes Redondo. Madri: Taurus, 2001

_______. Racionalidade e comunicação. Tradução Paulo Rodrigues. Lisboa: edições 70, 2002.

LUDKE, Menga. Os professores e a sua socialização profissional. In: REALI, A.M. & MIZUKAMI, Menga. Formação de professores: Tendências atuais. São Carlos: EDUFSCar/Finep, 1996.

FREITAS, Helena Costa Lopes. A reforma do Ensino Superior no campo da formação dos profissionais da educação básica: As políticas educacionais e o movimento dos educadores. Educação & Sociedade, n. 68, p.17-44, Dez. 1999.

MELO, Maria Teresa Leitão. nº 68, p. 45-60, Dez. 1999.

MEIRIEU, P. Aprender sim, ..., mas como? Porto Alegre: Artmed, 1998.

MIZUKAMI, Maria.Glória. Docência, trajetórias pessoais e profissionalização. In: REALI, A.M. MIZUKAMI, Maria.Glória. Formação de professores: Tendências atuais. São Carlos: EDUFSCar/Finep, 1996.

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Educação & Sociedade, n. 68, p. 109-125, Dez./1999.

PERELMAN, Chaim; OLBRECHTS-TYTECA, L. The new retoric: a treatise on argumentation. Indiana: University of Notre Dame, 1973.

PERRENOUD, Philippe. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação: perspectivas sociológicas. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola. Trad. Charles Magne. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

_______. 10 Novas Competências para Ensinar. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

_______. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza. Trad. Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

¬¬¬______.; PAQUAY, Leopold; ALTET, Marguerite; CHARLIER, Évelyne (orgs.). Formando professores profissionais: Que estratégia? Que competência. Porto Alegre, RS: Artmed Editora, 2018.

PIMENTA, S. G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, S.G; GHEDIN, E. (orgs.) Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. - São Paulo: Cortez, 2015.

REY, Bernard. As competências transversais em questão. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ROPPÉ, Françoise. Dos saberes às competências? O caso do francês. In: ROPPÉ, F.; TANGUY, L. Saberes e competências. Ed. Papirus. Campinas, 1997.

SACRISTÁN, José Gimeno. Poderes inestables em educación. 2. ed. Madrid: Morata, 2010.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

STROOBANTS, Marcelle. A visibilidade das competências. In: ROPPÉ, F. e TANGUY, L. Saberes e competências. Ed. Papirus. Campinas, 1997.

TARDIF, Maurice; GAUTHIER, Clermont. O professor como “ator racional”: que racionalidade, que saber, que jugalmento? In: PERRENOUD, Philippe, PAQUAY, Leopold, ALTET, Marguerite, CHARLIER, Évelyne (orgs.). Formando professores profissionais: Que estratégia? Que competência. Porto Alegre: Artmed Editora, 2018.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2021-09-13